“‎As pessoas que espalham amor, não têm tempo nem disposição para jogar pedras.” Irmã Dulce

O exercício da gestão requer determinadas habilidades e cuidados por parte do gestor, necessários ao bom  relacionamento com  seus liderados. O feedback constitui um momento especial nessa equação, pois é nessa oportunidade  que o colaborador tem consciência de que seu trabalho está sendo avaliado com atenção. Considerar os aspectos positivos e negativos da atuação profissional de alguém requer habilidades especiais, já que os acertos devem motivar o trabalho futuro e os gaps, em vez de constituir motivo de desânimo, devem estimular a correção e  o aprimoramento do trabalho.

É muito comum que os gestores, preocupados com o bom funcionamento da empresa, deem muita ênfase, durante o feedback, àquilo que precisa ser corrigido, economizando  elogios ao esforço e aos acertos do colaborador. Isso revela que  faltou ao líder o cuidado em dedicar-se à preparação desse retorno tão importante para o sucesso do trabalho de seus liderados e do relacionamento interpessoal com eles.Assim, o gestor, ao preparar-se para o feedback, deve preocupar-se com o equilíbrio entre tratar de falhas , discutir correções e elogiar os acertos. Não enfatizar o retorno positivo pode ser interpretado como falta de reconhecimento aos acertos e esforço do colaborador, o que poderá afetar negativamente  sua motivação nas ações a serem desenvolvidas nos dias seguintes.

Deve-se considerar também que indivíduos muito exigentes em relação ao próprio trabalho, frequentemente, demonstram dificuldade em aceitar críticas e reconhecer os próprios gaps. Se percebem que o gestor destaca esses erros e mal se refere à atuação acertada, julgam-se injustiçados e desmerecidos. Isso pode refletir-se negativamente na relação futura de tais colaboradores com a empresa.

A fim de evitar situações como essa, é necessário ao gestor investir na preparação do feedback, demonstrando o mesmo empenho e cuidado em tratar tanto das correções a fazer, quanto dos acertos, que, além de elogiáveis, podem motivar uma atuação capaz de ser aperfeiçoada e ampliada. E o gestor, nesse momento tão importante, precisa , além de dar destaque também aos aspectos positivos de seu colaborador, mostrar transparência, trabalhar com evidências e mostrar respeito ao liderado, procurando colocar-se no lugar deste ao processar a crítica ao seu trabalho.